Diretora musical do Mawaca lança livro infantil multimídia sobre o universo musical indígena

Já estava na hora de mostrar para os pequenos viajantes que a vida indígena vai bem além daquelas imagens estereotipadas dos livros didáticos que reduzem os índios brasileiros a moradores selvagens de ocas em matas distantes que realizam tarefas como caçar e pescar.

Índio gosta também é de fazer som inspirado nos barulhos que vêm da floresta. E, na hora de fazer música, vale tudo: casco de tracajá, maraca feita com coco e até crânio de macaco que vira chocalho.

O Mawaca apresentou o show 'Cantos da Floresta', baseado no trabalho 'Rupestres Sonoros', onde músicas indígenas de diversos grupos do Brasil dialogam com a arte rupestre (foto: Eduardo Vessoni)
O Mawaca apresentou o show ‘Cantos da Floresta’, baseado no trabalho ‘Rupestres Sonoros’, onde músicas indígenas de diversos grupos do Brasil dialogam com a arte rupestre (foto: Eduardo Vessoni)

Escrito por Berenice de Almeida e Magda Pucci, diretora musical do Mawaca, o recém lançado A floresta canta! Uma expedição sonora por terras indígenas do Brasil é uma viagem pela riqueza musical dos grupos indígenas em diferentes regiões do Brasil que percorre um longo caminho para explicar em detalhes os sons que saem das florestas e se transformam em canções.

Achamos importante apresentar de forma simples a cultura musical indígena e colocá-la num patamar de igualdade com qualquer outra música que se possa ouvir por ai”, diz Magda Pucci, diretora musical do grupo Mawaca, que conta com um espetáculo com músicas do mundo com uma linguagem adaptada para despertar o interesse infantil, “Pelo mundo com Mawaca”.

Com ilustrações de Joana Resek e escrito em forma de diário de bordo sonoro com fotos de instrumentos e detalhes geográficos de cada região indígena, o livro descreve uma viagem em diversas etapas com mapas dos lugares visitados e comentários sobre os costumes de cada grupo.

O roteiro sonoro e visual faz paradas em endereços como as terras dos índios Yudjá, no Parque Nacional do Xingu; Xavante do Mato Grosso; os cantores Paiter-Suruí de Rondônia; Ikolen-Gavião, famosos pelos instrumentos de sopro; e dos simpáticos Kambeba, do Amazonas.

Índios Ikolen-Gavião, em Ji-Paraná, Rondônia (fotos: Eduardo Vessoni)
Índios Ikolen-Gavião, em Ji-Paraná, Rondônia (fotos: Eduardo Vessoni)

E para atrair o antenado público infantil, a obra pode ser acompanhada com músicas descritas na publicação pelo celular, via QR Code, ou acessando o site da editora.

Ali, por exemplo, é possível ouvir uma canção tradicional Xavante, cantos do povo Paiter-Suruí e os instrumentos de sopro dos Ikolen-Gavião.

Clique na imagem abaixo e confira a galeria de imagens da turnê “Cantos da Floresta” que o Mawaca realizou com índios da Amazônia, em 2011:

Turnê "Cantos da Floresta"

 

SAIBA MAIS
Lançamento do livro “”A floresta canta! Uma expedição sonora por terras indígenas do Brasil”
QUANDO: 15 de março,  a partir das 15h
ONDE:
Livraria da Vila da Fradique Coutinho (Rua Fradique Coutinho, 915 – Pinheiros/São Paulo – tel.: (11) 3814-5811)[/stextbox]

[box type=”normal”]

SOBRE AS AUTORAS

– Berenice de Almeida é educadora musical, pianista e bacharel em Música pela Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP).

Além de professora de música na Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA), em São Paulo, Berenice já publicou outros livros da área de música “Outras terras, outros sons”, também em parceria com Magda Pucci, e colaborou como autora das coleções “O livro de brincadeiras musicais da Palavra Cantada” e “Brincadeirinhas Musicais da Palavra Cantada”

Magda Pucci, diretora musica do Mawaca, é etnomusicóloga, cantora, arranjadora e compositora.

Formada em Regência pela Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP), é mestre em Antropologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e já publicou ”De todos os cantos do mundo”, com Heloisa Prieto.

-A ilustradora Joana Resek é formada em design gráfico, tem dois mestrados em arte, design e novas tecnologias, pela Universidade Paris 8 Saint Denis, na França, e pela Escola Superior de Disseny, na Espanha.

Depois de 8 anos na Europa, atualmente mora em São Paulo e trabalha com ilustração e design gráfico, além de projetos de animação e vídeo.

[/box]

* texto: Eduardo Vessoni